Hino do Liceu

 

Ó meu velhinho Liceu

Foste sempre orgulho meu

Mesmo de Escola chamado.

Teu patrono se mantém

A quem todos queremos bem

Camilo desventurado

Preparaste adolescentes

Alegres, irreverentes

Pr’á dura luta da vida.

Se uns bem alto voaram

Outros mais baixo ficaram

Nenhum perdeu a corrida.

 

Refrão

Tuas velhas tradições

Percorreram gerações

Mas “tudo o vento levou”.

O Regadinho morreu

O Sarau desapareceu

Só a saudade ficou.

Adeus ceias invernosas

De galinhas bem gostosas

Com arte surripiadas.

Adeus fartas cabidelas

E respectivas pielas

Pelas noites arrastadas.

 

Refrão

Adeus ó velhos reitores

Por quem não morre de amores

A moderna instituição.

Adeus sineta sonante

A lembrar ao estudante

Em branco ter a lição.

Muito mudou, é verdade

Mas ficou a realidade

Que ninguém pode negar.

As portas deste Liceu

Que tanto é teu como meu

Abertas sempre hão-de estar.

 

Refrão

 

 

Ó meu velhinho Liceu
Hoje de Escola chamado
Foste sempre orgulho meu
Com saudade recordado.


Letra: Hercília Agarez
Música: João P.V.Costa